Samara
Bem-vindos a Samara, cidade de mercadores, do espaço e das chastushki (quadrinhas populares), bem como a sede dos jogos da Copa do Mundo de Futebol 2018!
Samara é famosa pelos seus recordes. Aqui fica o cais mais comprido da Rússia, o prédio da estação ferroviária mais alto e a maior praça da Europa.
A data exata da fundação da cidade é desconhecida, mas considera-se oficialmente que a cidade surgiu em 1586 quando na margem do rio Samara foi construída uma fortaleza.

A nova fortaleza devia repelir as incursões dos nômades e controlar a navegação pelos dois rios – Volga e Samara.

Nos tempos soviéticos Samara mudou seu nome: até 1991 a cidade foi conhecida como Kuibyshev – em honra do estadista soviético Valerian Kuibyshev.
© Sputnik/Yuri Streletc/Monumento ao fundador de Samara Grigory Zasekin (escultor Karen Sarkisov)
Durante a Segunda Guerra Mundial, para Samara foram evacuadas algumas grandes empresas com os funcionários e suas famílias.

É interessante notar que foi a Kuibyshev que Yuri Gagarin chegou logo após seu voo lendário. A partir de aqui ele relatou sobre a conclusão bem-sucedida do seu voo.
Até hoje, em Samara funciona o centro espacial russo Progress que fabrica foguetes portadores. Um destes foguetes transportou para a órbita a nave espacial Vostok com Yuri Gagarin a bordo.

Samara é conhecida não apenas pelos seus êxitos, mas também como lugar favorito de escritores famosos. Aqui nasceu e viveu a maior parte da sua vida Aleksei Tolstói, também viveram Gavriil Derzhavin, Maksim Gorky e Lev Tolstói.
©Sputnik/Igor Ageyenko/Igreja de São Jorge (à frente) e o Circo Estatal de Samara
O que ver
Bem no centro de Samara está situado um prédio atípico para as cidades russas: trata-se de uma igreja católica polonesa de estilo neogótico conhecida como Igreja do Sagrado Coração de Jesus.

Sua história começou em 1890 com a construção de uma igreja de madeira pela comunidade local católica composta na sua maioria por poloneses. Por isso, a igreja passou a ser chamada de igreja católica polonesa. No início do século XX, foi erguido o prédio de pedra que perdeu por dezenas de anos seu propósito original: primeiro foi encerrado e pilhado e depois no prédio se instalou o Museu Regional de Samara.

Mas no início dos anos 90 a igreja foi devolvida à comunidade católica e começou a funcionar de novo. Hoje em dia é considerado um dos prédios mais altos da cidade.
©Sputnik/Konstantin Chalabov/Igreja do Sagrado Coração de Jesus em Samara
Outro lugar de interesse de Samara é o Mosteiro Feminino Iversky, fundado em meados do século XIX. É uma série de prédios que definem em muito a imagem da cidade.
1. ©Sputnik/Nikolay Hiznyak/Mosteiro Feminino Iversky em Samara
2. ©Sputnik/Konstantin Chalabov/Mosteiro Feminino Iversky em Samara. À esquerda – capela dos Mártires Reais
3. ©Sputnik/Nikolay Hiznyak/Campanário do Mosteiro Feminino Iversky em Samara
Além disso, em Samara funciona a igreja luterana de São Jorge. Foi construída graças às doações do comerciante russo Egor Annaev.

A igreja era o centro religioso dos alemães que viviam em Samara: a igreja contava com um jardim de infância e uma escola.
©Sputnik/Yuri Streletc/Igreja luterana de São Jorge em Samara
Desde os tempos soviéticos foi conservado o chamado Bunker de Stalin. Esta construção foi erguida nos tempos da Segunda Guerra Mundial, quando para Samara, junto com empresas, foram evacuados o Conselho Supremo da URSS e as representações diplomáticas.

Aqui, na profundeza de 37 metros se situava o quartel-general de reserva do Comandante Supremo da URSS, Josef Stalin.

Desde os anos 90, o bunker está aberto para visitas turísticas.
1. ©Sputnik/Aleksey Babushkin/Escritório de Josef Stalin no bunker secreto
2. ©Sputnik/Yuri Streletc/Corredores do Bunker de Stalin – o mais robusto de todos os desclassificados ultimamente
3. ©Sputnik/Aleksey Babushkin/Sala de reuniões do Supremo Comandante Josef Stalin no bunker secreto
Em Samara fica uma das fábricas de cerveja da Rússia – a fábrica Zhiguli. Esta fábrica foi construída em 1881 pelo cidadão austríaco Alfred Vacano von Wellho na margem do rio Volga.

A fábrica sofreu várias mudanças. Assim, em 1914, quando na Rússia foi introduzida a lei seca, no território da fábrica foi organizado um armazém e hospital militar, bem como foi montada a fabricação de granadas, camas e pão para rações de combate.

Hoje em dia a fábrica produz cerveja Zhiguli e artigos não alcoólicos: água e limonadas.
©Sputnik/Yuri Streletc/Fabrica de cerveja Zhiguli
Samara é interessante não apenas por seus monumentos espetaculares. Passeando pelas ruas da cidade se pode encontrar muitas estátuas e pequenos monumentos instalados em honra tanto de pessoas reais quanto de protagonistas do cinema e literatura.

Em uma das ruas, o famoso comandante soviético Vasily Chapaev levanta seus combatentes para a luta, em outra, o célebre soldado Svejk saúda os visitantes da cidade. Na margem do rio Volga está instalado um monumento à pintura: um escultor de Samara reproduziu em bronze os protagonistas do quadro "Rebocadores do Volga", do ilustre artista Ilya Repin.

Continuando seu passeio pela cidade, os turistas podem encontrar protagonistas dos populares filmes soviéticos: o camarada Sukhov de "O Sol Branco do Deserto" e Yuri Detochkin do "Cuidado com o carro!".
1. ©Sputnik/Igor Ageyenko/Escultura "Rebocadores do Volga" no cais de Samara
2. ©Sputnik/Yuri Streletc/Esculturas do príncipe Pedro e princesa Fevronia, santos padroeiros da família na igreja ortodoxa
3. ©Sputnik/Nikolay Hiznyak/Monumento ao comandante do Exército Vermelho Vasily Chapaev do escultor Matvei Manizer na Praça de Chapaev em Samara
Em Samara também há estátuas em honra dos protagonistas da literatura infantil: por exemplo, perto do Museu-Fazenda de Aleksei Tolstói, um personagem sorridente, o famoso Buratino recebe os visitantes com sua chavezinha de ouro nas mãos.

Os escultores contemporâneos de Samara também adornaram a cidade com suas obras. A escultura "Berço da Humanidade", situada na margem do Volga, atrai os que gostam de arte moderna. Outros adoram ver o gato de bronze sobre um radiador de aquecimento. Esta escultura peculiar foi instalada na entrada da usina elétrica de Samara em honra do 150º aniversário da invenção do radiador de aquecimento.
©Sputnik/Konstantin Chalabov/Samara Arena
Samara Arena
O novo estádio Samara Arena tem capacidade para acolher quase 45.000 espectadores e albergará quatro jogos da fase de grupos da Copa de 2018 assim como um jogo das oitavas e um das quartas de final.

O estádio tem a forma de "pedra preciosa" cujas faces são feitas de construções metálicas. O campo está equipado com sistema de aquecimento e se situa ao ar livre, no entanto as tribunas estão cobertas com telhado.

Samara Arena é o maior estádio construído especialmente para a Copa de 2018. Também conta com mais zonas VIP – mais de 1.200 assentos.
©Sputnik/Konstantin Chalabov/Samara Arena
Como chegar
De avião: ao norte de Samara fica o aeroporto internacional Kurumoch. Dele se realizam voos quase para todas as regiões russas e para outros países. De Moscou o voo dura 1 hora e 45 minutos, de São Petersburgo – 2 horas e 25 minutos.

De trem: A estação de trens de Samara é considerada uma das maiores da Rússia e fica no prédio mais alto da Europa: com uma altura de 101 metros. Entre Moscou e Samara circula diariamente o trem "Zhiguli". O caminho demora 13 horas. Também há trens de dois andares, a viagem neles dura 14 horas.

De São Petersburgo a Samara é possível chegar usando o trem especial "Samara". O caminho vai demorar cerca de 24 horas.
Made on
Tilda